#015 Edson Aran, conheça o seu público e aprenda a se vender

Edson Aran editou as três maiores revistas masculinas do país, Playboy, Sexy e VIP, mas começou a carreira na seção de cartas da Contigo, lidando direto com o público. As duas coisas, cartas e revistas, praticamente não existem mais, mas o aprendizado vale para o momento atual do jornalismo.

“A Contigo recebia toneladas de cartas. Todo mundo que entrava pelo curso Abril entrava no atendimento ao leitor. A Abril entendia isso, que o primeiro passo dentro da editora era compreender o leitor”.

O ensinamento valia para as revistas impressas e vale também para o mercado atual: conhecer bem o público para satisfazer as suas necessidades de informação continua sendo a grande razão de ser de qualquer veículo jornalístico.

Um dos grandes dilemas do mercado atual é convencer o público a pagar pelo conteúdo de qualidade, que compete com tudo o que há de gratuito na internet.

“Existe possibilidade sim de um jornalismo de qualidade. Há sites demonstrando isso. O que é preciso é modelar o negócio, o tamanho do público e fazer esse público te pagar. Não importa com quantas pessoas você fala, mas modelar o seu negócio para atender a esse público. E fazer o jornalismo possível”.

Para sobreviver aos novos tempos, não basta compreender os fundamentos tradicionais do jornalismo, pauta, apuração, reportagem e edição. É preciso também saber se vender, segundo Edson Aran.

“Todo mundo vai ter de aprender a ter talento comercial. Se vender e vender o seu produto. Eu mesmo estou aprendendo a fazer isso. Há uma mudança geral no mundo, não só no jornalismo. O capitalismo perdeu a capacidade de gerar emprego. É o grande nó do século XXI. O jornalista tem de virar um empreendedor, não vejo outra maneira de ele trabalhar”.

Assine (de graça) no seu aplicativo de podcast preferido:

AnchorApple PodcastsCastBoxDeezer iHeartRadioOvercastPlayerFMPodTailRadioPublicRSSSoundCloudStitcherTuneIn

É movido pela curiosidade e virou jornalista só para saber das coisas antes dos outros. Adora contar e ouvir histórias e é um entusiasta de podcasts. Trabalhou 12 anos na CBN, onde fez de tudo (mesmo) e foi de estagiário a gerente de jornalismo. É mentor do BRIO, dá aula na PUC e está estudando chinês: já sabe falar 我不会说中文. Mora no Rio e não vê alternativa fora do jornalismo. Fale com ele.