10 livros essenciais sobre ética jornalística

Ética jornalística não deveria ser um problema. Mas os exemplos que diariamente chegam até nós mostram que o caminho para a integridade não é tão simples como imaginamos.

O tema ultrapassa questões como “devo me identificar na hora de entrevistar uma fonte?” ou “devo interferir no fato, caso perceba uma violação?”. O jornalista se vê diariamente diante de dilemas como esses, alguns fáceis de solucionar, outros não.

Em tempos de fake news, a conduta ética do jornalista é parte essencial do seu trabalho, que deve ser estudada constantemente — agora, até renovada, pois a revolução digital incluiu cenários que até há pouco tempo eram inexistentes, como a atuação em redes sociais.

Para desanuviar esse assunto, o BRIO convidou o jornalista Rogério Christofoletti, autor de “Ética no Jornalismo” (Contexto), para indicar livros que tratem desse tema. Ele selecionou dez títulos, além de um bônus, que perpassam o assunto com atualidade e relevância.

Christofoletti também é professor de Jornalismo na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e coordenador do Observatório da Ética Jornalística (objETHOS).

1. Os Elementos do Jornalismo

Em linguagem clara e acessível, Bill Kovach e Tom Rosenstiel listam nove fatores fundamentais para o exercício dos jornalistas e cravam uma definição muito certeira para a nossa profissão: jornalismo é uma disciplina da verificação. Em tempos de fake news, nada mais atual. Da Geração Editorial.

2. O Jornalista e o Assassino

Como deve ser a relação entre jornalistas e fontes? Somos honestos com elas? Essas questões delicadas e nem sempre enfrentadas são abordadas por Janet Malcolm, jornalista e escritora, que se apoia num caso verdadeiro que envolveu um médico acusado de homicídio e seu biógrafo jornalista. Da Companhia das Letras.

3. Jornalismo, Ética e Liberdade

De Francisco José Castilhos Karam, é um livro muito útil para novatos, pois traz temas e casos importantes sobre o jornalismo brasileiro. Também muito importante para os jornalistas mais experientes, pois nos convida a repensar atitudes, procedimentos profissionais e vícios nas redações. Da Summus Editorial.

4. O Papel do Jornal e a Profissão de Jornalista

Um clássico do jornalismo brasileiro, muitas vezes não lido com a devida atenção. Alberto Dines é um dos jornalistas mais experientes e lúcidos do país e um grande crítico da mídia. O livro foi escrito na década de 1970 para tratar da crise do papel de imprensa e para abordar também a função do jornalista na sociedade. Décadas depois, foi revisado, atualizado e reescrito, permitindo novas discussões sobre o que fazemos pela sociedade. Da Summus Editorial.

5. Atuação da Mídia

Uma das expressões mais repetidas pelos jornalistas é “interesse público”. Sob ele, faz-se jornalismo, mas também se cometem muitos abusos. Dennis McQuail enfrenta a questão, ampliando a reflexão sobre como os meios de comunicação atuam em sociedades complexas como as nossas. Livro mais denso, mas necessário. Da Penso Editora.

6. Ética aplicada: Comunicação Social

Esta é uma coletânea lançada no ano passado que traz autores de língua portuguesa, repensando aspectos da ética não só jornalística, mas de outras áreas relacionadas. Boa oportunidade para quem quer se atualizar e mergulhar no assunto. Alguns capítulos são mais áridos, outros, menos. Mas extremamente útil, ainda mais porque pensado e escrito na nossa língua. Da Edições 70.

7. El Zumbido y el Moscardón

Javier Darío Restrepo é um dos mais renomados jornalistas especializados em ética profissional da América Latina. Colombiano, Restrepo se dedica a responder num site perguntas práticas sobre o cotidiano de repórteres e editores. É o que o leitor encontra nos dois volumes da obra. Em espanhol, da Tragaluz Editores.

8. Online Journalism Ethics

Já faz mais de dez anos que Jane B. Singer e Cecilia Friend lançaram o livro, mas ele é uma das primeiras (e melhores) tentativas de atualizar os dilemas éticos jornalísticos. Há questões ali, como a moderação de comentários em sites e redes sociais, a checagem de fatos e o uso de conteúdos gerados pelo usuário, que ainda são muito discutidas na área. Em inglês, da M.E. Sharpe.

9. The New Ethics of Journalism

Uma obra para quem quer enfrentar mesmo os dilemas mais atuais da profissão, principalmente as questões mais delicadas envolvendo tecnologia. O livro é resultado de um conjunto de mesas redondas, debates e eventos nos Estados Unidos, e os capítulos são assinados por Kelly McBride & Tom Rosenstiel,  profissionais reconhecidos e acadêmicos especializados. Em inglês, da CQ Press.

10. Journalism after Snowden

Livro fresquinho que reúne textos dos jornalistas e acadêmicos Emily Bell e Taylor Owen sobre o que tem mudado nas sociedades ocidentais (principalmente, nos Estados Unidos e Reino Unido) após as denúncias de Edward Snowden. Vigilância em massa, espionagem de jornalistas, novos relacionamentos com as fontes, liberdade de imprensa e grandes plataformas de tecnologia. Está tudo lá. É um livro necessário para os nossos tempos. Em inglês, da Columbia University Press.

BÔNUS
Acredite, Estou Mentindo

Este não é um livro de princípios jornalísticos, nem um manual de como agir corretamente. É um contundente relato de um confesso manipulador de mídias. Com uma sinceridade impressionante, Ryan Holiday conta como — por anos! — enganou jornalistas, blogueiros, públicos, anunciantes, usando as próprias ferramentas da mídia. Serve de alerta. Da Editora Nacional.

Gostou das indicações? Então, também conheça as seleções de livros feitas por Ronaldo Lemos (tecnologia e inovação) e Cristina Tardáguila (checagem de fatos).

Ricardo Ballarine
Ricardo é entusiasta de um jornalismo inovador e que explora todas as possibilidades narrativas. Dedicou parte da carreira a treinar e capacitar jornalistas. Paulista de origem, hoje vive em Belo Horizonte (MG). Não só tem fé no jornalismo como acredita que ainda há um caminho imenso a ser explorado. Fale com ele no [email protected]